top of page

Os indicadores APICS SCOR® de nível 2 e como implementá-los



Os indicadores SCOR de nível 2 são indicadores de desempenho mais detalhados e específicos que se desdobram dos indicadores de nível 1. Eles fornecem uma visão mais profunda dos processos da cadeia de abastecimento em cada uma das categorias principais do SCOR: Entrega (Delivery), Produção (Production), Fonte (Sourcing) e Retorno (Return).


Abaixo estão alguns exemplos de indicadores SCOR de nível 2 em cada categoria, bem como uma abordagem geral para implementá-los:


1. Entrega (Delivery)

  • Order Fill Rate: Mede a porcentagem de itens solicitados que são entregues em uma única entrega.

  • Perfect Order Line Fill Rate: Mede a porcentagem de pedidos em que todas as linhas de pedido são entregues corretamente na primeira tentativa.


Abordagem para implementar

  • Implementar sistemas de gerenciamento de pedidos que rastreiem as entregas e as correspondam aos pedidos.

  • Monitorar o desempenho em termos de atendimento de pedidos e identificar áreas onde as entregas estão incompletas ou com erros.

  • Desenvolver processos e treinamento para melhorar o preenchimento de pedidos e a precisão das entregas.


2. Produção (Production)

  • Manufacturing Schedule Adherence: Mede a adesão à programação de produção planejada.

  • Production Yield: Mede a proporção de produtos aceitáveis produzidos em relação ao total produzido.


Abordagem para implementar

  • Implementar sistemas de programação de produção eficazes e garantir que os cronogramas sejam seguidos.

  • Monitorar o rendimento da produção e identificar as causas das perdas de qualidade ou de eficiência.

  • Implementar melhorias nos processos de produção para aumentar o rendimento e reduzir os desperdícios.


3. Fonte (Sourcing)

  • Supplier Lead Time: Mede o tempo que os fornecedores levam para entregar produtos após um pedido.

  • Supplier Quality: Mede a qualidade dos produtos fornecidos pelos fornecedores.


Abordagem para implementar

  • Rastrear o tempo que os fornecedores levam para entregar produtos e identificar oportunidades para reduzir os prazos de entrega.

  • Avaliar a qualidade dos produtos recebidos dos fornecedores e implementar sistemas de controle de qualidade eficazes.

  • Trabalhar em estreita colaboração com os fornecedores para melhorar os prazos de entrega e a qualidade dos produtos.


4. Retorno (Return)

  • Return Material Authorization (RMA) Cycle Time: Mede o tempo médio necessário para processar uma autorização de devolução de material.

  • Returned Product Disposition Accuracy: Mede a precisão na determinação do destino dos produtos devolvidos.


Abordagem para implementar

  • Automatizar e otimizar o processo de autorização de devolução de material para reduzir o tempo necessário.

  • Implementar procedimentos rigorosos para determinar o destino dos produtos devolvidos com precisão.

  • Monitorar o desempenho do processo de devolução e identificar áreas onde as melhorias são necessárias.


A implementação desses indicadores SCOR de nível 2 envolve a coleta de dados mais detalhados, o uso de sistemas de informação eficazes, a identificação de áreas de melhoria específicas e a implementação de medidas para atingir metas específicas em cada categoria de desempenho. A chave é ter uma visão detalhada dos processos da cadeia de abastecimento e tomar medidas direcionadas para melhorar o desempenho em áreas críticas. Além disso, a colaboração com parceiros da cadeia de abastecimento continua sendo crucial para alcançar resultados bem-sucedidos.

 

Com profissionais com vasta experiência no setor, a MRP-N Consultoria pode apoiar sua organização na jornada da transformação digital para o S&OP / IBP, entre em contato agora mesmo com nossa equipe e saiba como:


✉ contato@mrpnachbar.com

💻 www.mrpnconsultoria.com

☎ +55 (11) 9 4387-2772 (WhatsApp)



 

Texto elaborado por:

Michel Nachbar, APICS CSCP® | MBA | SAP® IBP Certified

Associate Partner @ MRP-N Consultoria | SAP® Edge Partner

empowered by ChatGPT®


Possui carreira consolidada desenvolvida em empresas multinacionais de renome tais como Procter & Gamble, Coca-Cola, Barry-Callebaut, Chr-Hansen e Martin-Brower, onde atuou em cargos de liderança para gestão de supply chain e implementação de tecnologia em empresas.


Hoje está a frente da MRP-N Consultoria a + 6 anos, empresa boutique em desenvolvimento e aconselhamento na implementação do roadmap (plano estratégico) da gestão de projetos e melhorias das melhores práticas na gestão da cadeia de abastecimento incluindo processos, tecnologia e mudanças organizacionais, atuando com multinacionais, tais como, Coty (Savoy), MARS, Coca-Cola KO, Faber-Castel, Ypê (Química Amparo), Ontex, e empresas nacionais em grande ascensão, dentre elas, Brasilata, Gerdau, Hinode, Intelbras, e TMG.

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page