top of page

Mapeamento de Processos do Supply Chain


O mapeamento de processos do supply chain, também conhecido como mapeamento de fluxo de valor, envolve a visualização e a análise dos processos que compõem a cadeia de abastecimento de uma organização. O objetivo do mapeamento de processos é entender como as atividades estão interconectadas, identificar oportunidades de melhoria, eliminar desperdícios e otimizar o fluxo de valor em toda a cadeia.

Aqui estão algumas etapas-chave envolvidas no mapeamento de processos do supply chain:


1. Identificar o escopo:

Definir o escopo do mapeamento de processos, ou seja, quais processos específicos serão abordados. Pode ser o mapeamento de processos end-to-end da cadeia de abastecimento ou focar em áreas específicas, como gerenciamento de estoque, planejamento da demanda ou transporte.

2. Identificar os processos-chave:

Identificar os principais processos que compõem a cadeia de abastecimento, como aquisição de materiais, planejamento da produção, armazenamento, transporte, atendimento de pedidos, entre outros. Compreender os fluxos e sequências desses processos é fundamental.

3. Mapear as atividades:

Descrever as atividades envolvidas em cada processo e sua sequência. Isso pode ser feito por meio de fluxogramas, diagramas de processo ou outras técnicas de mapeamento visual. O objetivo é capturar o fluxo de trabalho, as entradas, as saídas e as interações entre as atividades.

4. Identificar os relacionamentos e as interfaces:

Identificar os pontos de contato e as interfaces entre os diferentes processos e as partes interessadas envolvidas. Isso inclui os relacionamentos com fornecedores, clientes, parceiros logísticos e outras partes envolvidas na cadeia de abastecimento.

5. Analisar o desempenho:

Avaliar o desempenho atual dos processos mapeados, identificar gargalos, ineficiências e oportunidades de melhoria. Isso pode envolver a análise de indicadores-chave de desempenho (KPIs), como tempo de ciclo, lead time, taxa de entrega pontual, utilização de recursos, entre outros.

6. Identificar oportunidades de melhoria:

Com base na análise do desempenho, identificar oportunidades de melhoria nos processos mapeados. Isso pode incluir a eliminação de atividades desnecessárias, a automação de tarefas, a padronização de processos, a melhoria da comunicação e a otimização do fluxo de materiais e informações.

7. Propor mudanças e desenvolver um plano de ação:

Com base nas oportunidades de melhoria identificadas, propor mudanças nos processos e desenvolver um plano de ação para implementar essas melhorias. Isso pode incluir a definição de metas, a atribuição de responsabilidades, o cronograma de implementação e os recursos necessários.

8. Monitorar e ajustar:

Após a implementação das melhorias, é importante monitorar continuamente o desempenho dos processos e realizar ajustes conforme necessário. Isso garante que as melhorias sejam sustentadas ao longo do tempo e que a cadeia de abastecimento continue a operar de forma eficiente e eficaz.


O mapeamento de processos do supply chain é uma ferramenta poderosa para melhorar a compreensão e a gestão dos fluxos de valor em toda a cadeia de abastecimento. Ele ajuda as organizações a identificar áreas de ineficiência, otimizar os processos e alcançar uma cadeia de abastecimento mais ágil, responsiva e eficiente.

 

Com profissionais com vasta experiência no setor, a MRP-N Consultoria pode apoiar sua organização na jornada da transformação digital para o S&OP / IBP e gestão de supply chain, entre em contato agora mesmo com nossa equipe e saiba como:


✉ contato@mrpnachbar.com

💻 www.mrpnconsultoria.com

☎ +55 (11) 9 4387-2772 (WhatsApp)



 

Texto elaborado por:

Michel Nachbar, APICS CSCP® | MBA | SAP® IBP Certified

CEO and Associate Partner @ MRP-N Consultoria | SAP® Edge Partner

empowered by ChatGPT®


Possui carreira consolidada desenvolvida em empresas multinacionais de renome tais como Procter & Gamble, Coca-Cola, Barry-Callebaut, Chr-Hansen e Martin-Brower, onde atuou em cargos de liderança para gestão de supply chain e implementação de melhorias de processos, estrutura organizacional e tecnologia.


Hoje está a frente da MRP-N Consultoria a + 6 anos, empresa boutique em desenvolvimento e aconselhamento na implementação do roadmap (plano estratégico) da gestão de projetos e melhorias das melhores práticas na gestão da cadeia de abastecimento incluindo processos, tecnologia e mudanças organizacionais, atuando com multinacionais, tais como, Coty (Savoy), MARS, Coca-Cola KO, Faber-Castel, Ypê (Química Amparo), Ontex, e empresas nacionais em grande ascensão, dentre elas, Brasilata, Gerdau, Hinode, Intelbras, e TMG.


Comments


bottom of page